Após pandemia, preocupação com acesso a tratamentos aumentou para 81% dos clientes de planos, diz pesquisa

 08/11/2021

Uma pesquisa feita em setembro pela Associação Nacional das Administradoras de Benefícios (Anab), com 1.006 usuários da saúde suplementar de todo o país revelou que a preocupação com o acesso a tratamentos de saúde após a pandemia aumentou para a grande maioria dos segurados (81,1%).

Para 43,9% dos participantes, a preocupação aumentou muito, enquanto para 37,2% a preocupação aumentou “um pouco”. Apenas 4,8% disseram que esta preocupação diminuiu. Para 14,2%, a preocupação com o acesso a tratamentos de saúde não aumentou nem diminuiu após a pandemia. 

A intensidade da preocupação é mais alta entre residentes de capitais — segundo o estudo, provavelmente em razão da maior gravidade da crise sanitária em grandes centros urbanos. Entre os moradores de capitais, 58% responderam que se preocupam muito com o acesso atual a tratamentos de saúde. 

A intensidade da preocupação também é maior entre as mulheres e entre os mais velhos.

 

Resultados

O levantamento da associação revelou que a agilidade do atendimento das operadoras é o atributo mais valorizado pelos clientes de planos de saúde (24,2%), seguido por facilidade de autorização de procedimentos (15,4%). Em terceiro, ficou a rede de hospitais credenciada (14,4%), seguida por serviços oferecidos (11,1%) e rede de profissionais (10,9%).

“A importância desse atributo [agilidade no atendimento] aumenta quanto menor a renda familiar e a escolaridade dos respondentes — conceito também relacionado ao temor pelo risco de fatalidade sem atendimentos delongados ou travados por processos burocráticos”, diz a pesquisa, disponível no site da Anab.

Para 69% dos entrevistados, o plano de saúde representa uma segurança em momentos de necessidades. O serviço representa uma necessidade recorrente para 31% dos participantes.

71% dos segurados possuem plano de saúde há mais de 3 três anos. Apenas 4% possuem o serviço há até um ano — parcela que corresponde a usuários mais jovens e com menor renda familiar.

O levantamento revelou que uma parcela considerável dos possuidores de plano de saúde possuem renda familiar mensal entre 2 a 5 salários mínimos (55,6%). O plano de saúde foi apontado como a conquista mais importante para 17,7% dos entrevistados — a segunda mais citada após a casa própria (43,4%).

Utilizam o plano mensalmente 27,4% dos usuários; semestralmente, 27%; bimestralmente, 20,3%; anualmente, 15,3%; quinzenalmente, 7%; e trimestralmente, 0,6%. Usuários com menor renda familiar usam os planos com maior frequência.

 


TAGS

SINDIPAR
Sindicato dos Hospitais e Estabelecimentos de Serviços de Saúde do Paraná

Nossa missão é atuar na defesa de direitos e interesses das empresas de saúde, coordenando e executando políticas e ações. Como representante da categoria perante a sociedade, participamos ativamente das discussões e decisões políticas, administrativas, trabalhistas e sindicais.

Saiba mais sobre o sindicato - clique aqui.

Flaviano Feu Ventorim
Atual Presidente

Nossos Canais de Contato

Redes Sociais

      

Filiação

  • FEHOSPAR
  • CNSaude